sexta-feira, 3 de abril de 2015

Cercado

Nas sombras do meu quarto
Vejo te em sonhos por cumprir.

Invento te em mil palavras
Vazias de nada.

Navegas escondida por águas
Impossiveis.

Espero pelas sombras da noite.
Espero por ti.

José

Escuridão

Numa noite perdida em algures
Não sei o que fomos !

Não consigo deslumbrar 
Se te trago em mim !

O que será de nós ?

Nesta estrada sem começo e sem fim
Sabemos sempre que estamos sós.


José

sexta-feira, 18 de abril de 2014

CEGA A NOITE

Quando nas minhas noites ébrias
Procuro teus olhos e não encontro
Mergulho num lamaçal orfão de prazer.

Nas paredes deste quatro vazio
Nesta cama feita de chão
Neste corpo frio sem sangue
Existem pinturas de sonho por cumprir.

Nos primeiros raios de luz da manhâ
Vem !
Viver o momento de desejo apertado
Que um beijo sabe sempre a pouco
Seremos sem medo o olhar um do outro.


José


sexta-feira, 11 de abril de 2014

Amarrado em mim

Chamo te Inferno 
Existe momentos em que não sou nada
Somente um corpo cansado nas tuas mâos.

Chamo te Inferno
Com palavras de revolta vou lavando a alma
Dispo todo o sofrimento entranhado na pele.

Chamo te Inferno 
Com os teus apelos de desejo ínfame sou teu
Falta saber quem sou eu.


Jose

ATALHO




Nunca tive o meu dia
Ao nascer tive o pleno direito
Do tal carimbo marginal.

Libertei me das amarras
Do falso preconceito
Gritei aos ventos meu nome.

Passo a passo o final fatal
Chama por mim sem dó
Deixo me levar levemente
Sem sentir o meu dia


Jose

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

GARRAS... FERIDAS


Quando desnudas minha alma
 
Nada tens !
Nada obténs !

Alcanças sempre a incerteza
da entrega.

Mas fica sempre um quadro
com suaves
pinceladas de paixão


Jose

sábado, 27 de outubro de 2012

Almas... Vadias

De mãos abertas espero
o silencio da tua voz.
 
Vamos devagar vencer esta
noite perdida em nós
 
Não sei o rasto que vamos
deixar nesta cama vazia
 
Sei com pensamentos entrelaçados
beijamos a madrugada.
 
 
Jose
 
( foto tirada de um site )