sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Vento..... Quente



Serei sempre o que quiseres.

A paz nos labirintos da tua dor.

O poema adormecido nos recantos do teu corpo.

O veneno que passeia no prazer do teu sangue.

Para que sejas o que eu sempre quero.

José

( foto de olhares.com )