sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Vento..... Quente



Serei sempre o que quiseres.

A paz nos labirintos da tua dor.

O poema adormecido nos recantos do teu corpo.

O veneno que passeia no prazer do teu sangue.

Para que sejas o que eu sempre quero.

José

( foto de olhares.com )

7 comentários:

Som do Silêncio disse...

Grande Poeta

Já tinha saudades de te ler...

Bjs

Anónimo disse...

Uma amiga mostrou-me o teu blog.. ainda não tive tempo para me dedicar a lê-lo com olhos de sentir.
Hoje abri-o à toa, e deparei com este texto... Gostei muito e prefiro nem comentar,nem mexer.. apenas devolver-to, com um obrigada!

beijos,

elise

Paula disse...

Texto e foto lindos!

Sentido poema!

Abraço

Laura disse...

Visitando...
O texto é belo e n tenho palavras para comentar, deixa estar assim, é melhor.
Muitos beijos, querido poeta

An Ambush of Ghosts disse...

Bom.... MUITO bom!

Brain disse...

E enquanto assim fores(em),
Tudo estará,
Perfeito!

Como este poema.

Aquele Abraço!

HNunes disse...

Quero que não sejas o que leio...
Bjos dentro do meu silêncio