quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Insânia



És fera !

Teu olhar de fogo

É como quem dobra

Uma esquina da vida.



És fera !

Teus lábios insolentes

É como uma espada

Que atravessa um corpo.



És fera !

Teus suspiros envolventes

É como um sopro de morte

Numa cama sem vida.



És fera !

Teu cheiro, teu sabor

É como uma prisão

Perdida no meio do nada.



Tenho teu inferno como destino.




José



( foto de olhares .com )

12 comentários:

Som do Silêncio disse...

Ahhhhhh Poeta!

Fantástico este texto!
Adorei!

És fera a escrever!!!

Bjs

Miosotis disse...

Um pouco agressivo teu poema... mas se assim que 'a' sentes!

Gostei de conhecer teu espaço!

Anónimo disse...

..que belo inferno..

Twlwyth disse...

A loucura dum destino infernal que escorre da 'visão animal' dum Verdadeiro Poeta.
Muito bom!
Beijo

♥≈Nღdir≈♥ disse...

O tempo tomou conta da minha vontade… corre veloz ao sabor do vento…
Contudo… mesmo num desejo rápido, estou aqui… nem que seja apenas para desejar um bom fim de semana.
E parto… de novo sem promessas, porque não sei quando me será permitido voltar, fica então a vontade de regressar, um dia destes quando o tempo permitir…
Que fique o meu beijo e que dure pelo momento de ausência no espaço de um até breve.
Nadir

Bichinho disse...

Lindo...beijo fantasma.

Bichinho disse...

Lindo...beijo fantasma.

mariazinha disse...

há coisas que de facto sentimos como inevitáveis...

:)*

Helena Nunes disse...

Olá José
No meio de tanta ferocidade aindas tens
"Olhar de fogo...
lábios insolentes...
Suspiros envolventes...
O "Cheiro" e o "Sabor"
Bjos

Sha disse...

Mulher... esse ser indomável!

Fantástico este texto!!

Bjoca
Sha

nuvem disse...

Um poema feroz... :) Gostei muito.

Beijos

Brain disse...

Mas...

São a infernos destes,
Que ansiamos "descender",
Não é verdade?

José,
Para ti,
Aquele Abraço.