quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Sem... Nome



Sou.



Um tempo parado

nas trevas do teu

pensamento.



Sou.



Alma navegante

no lamaçal

dos teu vícios.



Sou.



Dor rasgada de uma

lágrima que reclama

o último beijo.



Sou.



Teu imaginário

de uma história

negra por acabar.



Defunto... Sou







José



Foto do site olhares.com

4 comentários:

martinha disse...

José!

Que lindo teu nome :)

o que escreves é lindoo
é imenso

vou voltar
fica bem
martinha

João e Joana disse...

Maravilha de poema!
Parabéns!
Abraço

Anónimo disse...

Olá.

Primeiramente, gostaria de te parabenizar pelo site. Os poemas são muito lindos, parabens de verdade!

Segundo, estou aqui para lhe propor uma espécie de parceria. Sou dono do www.E-Book-Gratuito.Blogspot.Com, um site de download de e-books e livros totalmente grátis.
Temos a meta de disponibilizar uma vasta biblioteca virtual para todos que tiverem um acesso a internet.

A parceria seria muito simples: Você adicionaria o nosso link no site de vocês (No menu lateral), e eu adicionaria o link de vocês em meu site, também no Menu Lateral.

Me contate através de meu e-mail: ownedzao@yahoo.com

Muito Obrigado,
Luiz!

Anónimo disse...

boas

o bloog muito bom...

tenho tambem a sorte de ter um pai poeta, e nao por ser meu, mas sim um grande poeta..

quando poder fico de amostrar algo dele, iria gostar...

abraço, do repas