segunda-feira, 12 de março de 2007

Último... Olhar.


Vasculhando as fezes da alma.


Descobri o caminho da pureza.


Também o labirinto do mórbido.


Salvou-se o sopro da poesia.



José



( foto de Raphael )

8 comentários:

Sandra disse...

A poesia tem uma luz que nos guia no pior dos labirintos ... até nós.

Som do Silêncio disse...

Olá Poeta!

Salvou-se e bem, pois o suporte és tu!

Beijo Silencioso

NARNIA disse...

Há sempre espaços paralelos... uns que nos levam por caminhos submersos, outros que nos deixam ancorados no prazer.


Beijo de Seda.

Skin on Skin disse...

Pq o último olhar... quando o sopro do amor nos toca e nos salva! ;)

Beijoka on skin

£oµ¢o Ðe £Î§ßoa disse...

É...

(estou de poucas palavras, tou afónico dos dedos)

Gude uiquende para ti
Até outro desinstante.

Termino como comecei:

É...

Anaïs disse...

Eu procuro ainda...

Doces abraços.

}}cleopatra{{ disse...

Olá José!

"Salvou-se o sopro da poesia."
Dizes tanta coisa em tão poucas palavras... admirável!

Um beijinho soprado

Azul disse...

Olá José!

Ainda bem que se salvou.

Meu Beijo
Azul